Mais informação «- Este sítio usa cookies para melhorar a sua visita.

*menu

Os dentes de leite - ordem de nascimento

Quantos são os dentes de leite?

A resposta simples é, 20 dentes de leite (ver figura). Mas o número total em cada momento varia com a fase da dentição infantil:

a) dentição de leite (até 6 anos)
b) dentição mista (entre 6 e 12 anos)

Ou seja, depende da idade. Conforme os anos da criança, podem ainda não ter nascido todos os dentes de leite, ou já ter caído alguns, como veremos.
Depois dos 12 anos é o período da dentição permanente.

Para a pergunta "quantos dentes temos na boca?" é favor consultar a página sobre dentes definitivos.

Tem de se enfatizar que toda a cronologia da erupção dos dentes deve por necessidade ser aproximada porque não há dois indivíduos exatamente iguais no seu desenvolvimento.


Dentes de leite (decíduos)

A calcificação dos dentes, desenvolvimento da dentição, crescimento das arcadas dentárias e crânio estão interligados, quer durante o período pré-natal quer pós-natal. O recém nascido não tem normalmente dentes visíveis na boca, mas já se encontram muitos dos 20 dentes de leite nas diversas fases de desenvolvimento, no interior da estrutura óssea das arcadas dentárias.

A formação do dente de leite começa por volta do quarto mês de gestação. Perto do fim do sexto mês do feto todos os dentes de leite já iniciaram o seu desenvolvimento. Nos primeiros anos aparece a dentição decidual ou de leite e mais tarde a dentição permanente.

- Qual o primeiro dente de leite a aparecer na boca do bebê?
Os incisivos centrais inferiores são os primeiros dentes de leite a aparecer na boca por volta dos 6 meses. São seguidos mais ou menos um mês mais tarde pelos incisivos centrais superiores. Passam então cerca de 2 meses até ao surgimento dos incisivos laterais superiores. Os incisivos laterais inferiores emergem um pouco antes dos laterais superiores.

Por vezes existe a necessidade de extração do dente de leite, por forma a abrir caminho ao dente definitivo. Veja quanto pode custar este procedimento odontológico.

Regra geral, os dentes inferiores precedem os superiores, e os dentes em ambas as arcadas (maxilar superior e mandíbula), aparecem aos pares, um esquerdo e um direito. Com a idade de 1 ano ou mais tarde, erupcionam os primeiros molares de leite. Os caninos deciduais aparecem por volta dos 16 meses. Por último surgem os segundos molares. Quando a criança atinge os 2 ou 2 anos e meio de idade, é de esperar que todos os dentes de leite estejam já em uso.

Resumindo, a ordem usual na erupção dos dentes de leite na boca é a seguinte:
a) incisivos centrais
b) incisivos laterais
c) primeiros molares
d) caninos
e) segundos molares
Os dentes mandibulares normalmente precedem os do maxilar superior na sua ordem de surgimento. Quando completa, a dentição decidual é composta por 20 dentes de leite (10 superiores e 10 inferiores).
De salientar que na dentição de leite não há pré-molares, só molares de leite.

Por altura dos 5 anos de idade o crescimento das arcadas dentárias é manifesto por alguma separação dos dentes de leite. Uma ideia ainda bastante comum é a de que a dentição decidual não é para levar a sério uma vez que será perdida numa idade ainda muito nova para dar lugar aos dentes permanentes. Muitos por isso pensam que como é uma dentição que será substituída, qualquer dano ou perda prematura, não é importante. Isto é uma visão errada e tem prejudicado o desenvolvimento dental das crianças. Possivelmente porque têm sido chamados de "dentes de leite" ou "dentes de bebé", o leigo tende a pensar nos dentes deciduais como sendo temporários. Simplesmente não é este o caso. Todos os dentes deciduais podem estar em uso dos dois aos sete anos, ou seja 5 anos no total. Alguns dos dentes deciduais estão em uso desde os seis meses até aos doze anos, 11 anos e meio ao todo.
Os 20 dentes de leite vão caíndo na infância, entre os seis e onze/doze anos de idade para dar lugar aos dentes definitivos. Entre estas idades (6 - 12) é de esperar que existam na boca dentes de leite e dentes definitivos. É o período da dentição mista. Depois dos 12 anos, é comum estarem presentes na boca, apenas dentes permanentes, com excepção do dente do siso que só aparece muito mais tarde.

O dente de leite cai porquê e quando?

O dente de leite cai (fica mole, expressão popular) porque a sua raiz foi destruída pelo dente permanente que está por baixo. Se não existir o dente permanente, então o dente de leite fica na boca. Por vezes o dente permanente ou definitivo está mal posicionado e não faz cair o dente de leite. Sempre que um dente de leite fica na boca para lá do tempo razoável, é razão para verificar o que está acontecendo dentro do osso. Uma radiografia panorâmica dental (ortopantomografia) revela fácilmente porque o dente de leite não cai, e permite planear com mais segurança o que fazer ou não fazer. Se o dente definitivo não nasce porque não existe, então o de leite não vai cair.
Após a queda de um dente de leite é de esperar três a seis meses até que o dente permanente apareça. No entanto é preciso quase um ano para ele erupcionar totalmente.
Qual a diferença entre dente de leite e dente permanente? - O dente de leite é mais pequeno, mais claro e tem outras diferenças que não são percebidas de imediato como menor camada de esmalte, maior câmara pulpar e raiz mais estreita. Uma boa maneira de reconhecer os dentes permanentes quando nascem (os incisivos) é pela serrinha ou mamelões do bordo incisal.
Incentive os seus filhos a fazer uma higiene dentária correta desde cedo. Não basta lavar os dentes, é preciso saber lavar os dentes. O dente de leite também é importante.

Importante: a perda prematura de um dente de leite, ou dente decidual, ou primário, é considerada hoje em dia como um dos fatores de origem e desenvolvimento de uma articulação anormal dos dentes permanentes ou definitivos. Quando isso acontece torna-se necessário recorrer a um alinhamento dos dentes com um aparelho ortodôntico fixo, ou móvel.


Qual a diferença entre o dente de leite e o dente definitivo?

Esta dúvida está presente inúmeras vezes e a resposta é que a forma e tamanho dos dentes de leite é diferente da dos dentes definitivos ou permanentes. O leigo pode não saber distinguir mas qualquer profissional ligado à área dentária não tem dificuldade em saber. Por isso se quer ter mesmo a certeza, o melhor é agendar uma consulta no dentista ou higienista bucal. Não é uma fuga à resposta mas a indicação do procedimento mais correto a tomar. Qualquer explicação mais pormenorizada serviria apenas para criar ainda mais dúvidas.
Atenção: ao contrário do dente de leite, o dente permanente nunca deve ficar mole, abanando. Esse é um mau sinal e pode significar a perda desse dente.