Este sítio usa cookies para melhorar a experiência da sua visita, se continua é porque aceita. Mais informação.
MENU rápido para celular

Tipos de Prótese Dentária Moderna

A Prótese dentária é urgente na perda de dentes

- A perda de dentes pode ser provocada pela cárie, doenças das gengivas e por traumatismos (as doenças das gengivas são a principal causa). Quando faltam dentes, os que estão ao lado e os oponentes tendem a mover-se para o espaço livre provocando todo o tipo de desequilíbrios nas arcadas dentárias. Também se dá a reabsorção (desaparecimento por absorção pelo organismo) do osso alvéolar (osso esponjoso onde estão implantadas as raízes dos dentes).

Para restaurar a função mastigatória, a estética e fonética, faz-se uma Prótese Dentária fixa (a melhor), ou removível (compare na página de preços). Colocam-se os chamados dentes postiços.

dentes postiços de cerâmica

Uma prótese pode ser feita para substituir 1 dente, 2 dentes, 3 dentes, por aí fora até a totalidade dos dentes. Para cada situação existe um tipo recomendado, ou várias tipos de prótese possíveis. O nosso objetivo é ajudar a determinar a melhor prótese para o seu caso. A falta de alguns dentes prejudica a restante dentição.

É urgente repôr o dente perdido através do tipo de prótese dentária adequada. Pode dirigir-se a qualquer dentista para resolver o seu problema de falta de dentes. Não existe nenhuma especialidade própria embora a experiência seja um importante fator a considerar.
Após analisar a sua boca, o médico dentista vai lhe propor uma ou mais soluções.

Preços da prótese dentária - quanto custa cada tipo

- Os preços das próteses dentárias podem ser consultados neste sítio mas são aproximados porque os dentistas não gostam de dar a conhecer à concorrência os preços que praticam. Também o fato de existirem dentistas melhor qualificados que outros, ou exercerem a sua profissão em cidades de maior renda, etc., infere no preço. O melhor procedimento para saber quanto custa uma determinada prótese dentária, é a pessoa dirigir-se pessoalmente a algumas clínicas e pedir um orçamento. No entanto é possível encontrar algumas referências que podem servir de guia.
Pode ver uma tabela de preços de prótese dentária no Brasil para o ano de 2016. Conheça também os preços em Portugal no tópico correspondente. Na consulta das tabelas tenha em mente que os preços dependem da quantidade de dentes e do tipo de prótese que pretende colocar.

Como e onde se faz uma prótese dentária

- Para se poder fazer uma prótese dentária, o paciente tem primeiro que tratar dos dentes que restam. Como é óbvio não se coloca uma prótese dentária numa boca com cáries.
Depois deste procedimento concluído, o dentista tira uma impressão (molde) da boca, em cima e em baixo. É indolor e o único desconforto é o tempo de espera até que o material de impressão endureça (alguns minutos de boca aberta). Os moldes seguem para um laboratório de prótese dentária onde um Técnico de Prótese Dentária verte gesso para dentro deles, de modo a obter um modelo que replica a boca do paciente.
É com os modelos obtidos que começa o trabalho da prótese dental. Podem ser necessárias várias provas antes de finalizar o trabalho. A cada uma dessas provas, o paciente é chamado ao consultório do dentista e convidado a dar a sua opinião. Finalmente chega o dia da entrega e colocação da prótese dentária.

Básicamente são estes os procedimentos normais. Acontece por vezes ter que se repetir o primeiro passo da impressão ou moldagem, quando se deteta algum defeito na impressão ou no caso de extrações muito recentes.

Que tipos de prótese dentária se adequam a si?

- Básicamente existem dois tipos de prótese dentária, prótese dentária removível, e prótese dentária fixa. No tipo removível o paciente tira e põe a dentadura sempre que deseja, já a dentadura fixa (prótese fixa) é aparafusada ou encaixada em implantes ou em dentes naturais.
Ambos os tipos de próteses podem ser parciais ou totais. A prótese dentária fixa parcial compreende coroas e pontes e pode utilizar dentes naturais para se prender. A fixa total pode restaurar os dentes todos da boca se forem usados implantes dentários para a sua fixação.
Mediante o que se acabou de referir importa primeiro saber quantos dentes faltam. A partir daí começa-se a estabelecer uma solução ou várias soluções. O fator econômico pode nalguns casos ser determinante na escolha.
A reposição em tempo breve dos dentes em falta, através de prótese dentária adequada, é fundamental para a estabilidade de todos os outros dentes. Se o lugar do dente ausente for na zona da frente, acresce o problema estético. Fica feio um espaço escuro no meio de um conjunto claro como aquele que é formado pelos dentes alinhados.
Veja a seguir quais as diferentes possibilidades para repor um ou mais dentes perdidos.

O Implante dentário como retentor da prótese fixa

- Os implantes dentários utilizam-se em casos de perda de um ou mais dentes quando se pretende colocar uma prótese fixa. Funcionam como as raízes dos dentes naturais. Usam-se ainda no caso de doentes desdentados em que a estrutura óssea e a mucosa bucal não permitam a utilização de uma prótese total com conforto e estabilidade. Funcionam como retentores da prótese. É no caso de pessoa sem dentes, que os implantes mais contribuem para uma melhoria radical na qualidade de vida. A nova dentadura retida no lugar pelos implantes leva ao ponto do utente pensar que tem dentes naturais. Recupera a confiança e auto estima.

Os implantes dentários mais modernos são totalmente em cerâmica e numa única peça. Já não em vários componentes sujeitos a reter milhões de bactérias nas suas juntas. Quando o osso não tem altura suficiente pode-se optar por mini-implantes.

Que tipo de prótese dentária pode ser colocada com recurso a implante dentário?

Tenha em mente que existe ainda um outro tipo de implante dentário, conhecido como mini-implante, que pode ser a solução dos seus problemas e tem um custo substancialmente inferior, quase metade em relação aos implantes 'normais'.
[continuar leitura sobre implantes ---»»]

Prótese dentária fixa

Coroa dentária

coroa dentaria de cerâmica - A prótese dentária fixa é constituída por coroas dentárias, pontes dentárias e próteses totais suportadas por implantes dentários. A coroa dentária é uma capa que se destina a reconstruir a coroa natural do dente parcialmente destruído. Implica a existência de parte da estrutura do dente que se propõe reconstruir e ao qual será cimentada. Quando tal não acontece, a coroa pode ser fixa a um implante dentário através de um parafuso ou cimentada. Apenas dois tipos de coroa se consideram de qualidade, a coroa de porcelana fundida no metal ou a coroa de cerâmica total.
[mais sobre coroa dentária de cerâmica ---»»]

Coroa Richmond

No caso de só restar a raiz do dente natural (por exemplo quando o dente parte pela raiz), a coroa artificial pode ser feita com uma extensão que entra pelo canal pulpar (canal do nervo) existente no interior da raiz. É o chamado Pivot dentário. Também pode ser construída em duas partes, um pino ou poste que entra na raiz e uma coroa (capa) envolvendo o pino. Se partiu um dente e ficou com a raiz, em princípio pode ser utilizada para uma coroa dentária.

protese dentaria fixa (ponte) de cerâmica com 3 dentes

Ponte dentária

A ponte dentária é sempre fixa e é um tipo de prótese destinado a substituir um ou mais dentes, apoiando-se em dentes vizinhos ao espaço desdentado. Os elementos que ficam suspensos são denominados pônticos.
Os avanços da medicina dentária permitem hoje uma nova opção, a coroa ou ponte dentária apoiadas em implantes dentários. Nestes casos não é necessário recorrer aos dentes que sobram para a retenção e apoio da ponte. Do mesmo modo, para a colocação de 1 único dente, já não é preciso fazer uma ponte apoiada nos dentes adjacentes ficando este dente artificial preso ao implante que lhe serve de suporte.

Os estes elementos de restauração e substituição dos dentes devem ser feitos em laboratórios de prótese dentária. É preciso não confundir estes trabalhos com as coroas acrílicas (os chamados pivots e coroas provisórias) que por vezes são aplicadas pelos dentistas com objectivo temporário, sem qualificação para serem consideradas como um tipo de restauração fixa permanente.
A prótese dentária fixa é a opção ideal nos casos em que faltam poucos dentes, não só pelo conforto como pela estética, embora seja mais cara que a prótese removível. As coroas e pontes metalo cerâmicas são feitas com uma estrutura interna em metal que lhes dá robustez e recobertas de cerâmica com a tonalidade dos dentes do paciente. Também poderão ser só de cerâmica, o que confere uma melhor estética. São dentes de cerâmica pura. Existem vários tipos de prótese de cerâmica, realizadas com diferentes técnicas e materiais. Um exemplo é a coroa Procera (Nobel Biocare).
[mais sobre ponte dentária de cerâmica ---»»]

Ponte Maryland

Este é um tipo de ponte reservado a casos especiais, com alguns senãos e por isso menos usada. Por vezes é denominada de prótese adesiva.

Prótese dentária removível

prótese removível do tipo esquelética - Próteses removíveis dividem-se em parciais e totais. A prótese parcial removível, por vezes designada de PPR, é normalmente em acrílico mas também pode ter a base em silicone, nylon ou tem uma parte metálica chamada esqueleto. Os dentes artificiais costumam ser de acrílico. Como o nome 'parcial' indica, destina-se a substituir um ou mais dentes mas não os dentes todos. Esse é um outro tipo de removível (total) como poderá ler mais abaixo.

PPR de metal, Esquelética ou Roach

Uma prótese esquelética ou grampeada é uma prótese dentária parcial que cobre uma porção menor da boca, devido à robustez da sua parte metálica. Ideais para quando a pessoa não quer cobrir o palato. Usa grampos (ganchos) nos dentes para se manter no lugar e suportar a prótese. Isto pode resultar num problema estético, se o grampo ou gancho ficar muito visível. Por vezes a esquelética fica folgada mas esse problema é prontamente resolvido num dentista ou laboratório de prótese, através do aperto dos ganchos ou grampos. A liga metálica usada nas esqueléticas é uma liga não preciosa de crômio-cobalto ou crômio-níquel.
É uma prótese mais cara que a convencional de resina acrílica e precisa sempre de dentes naturais onde agarrar e ganhar apoio.

Prótese dentária parcial removível de acrílico, silicone ou nylon

De entre todos os tipos de prótese, a prótese parcial removível de acrílico é a mais barata e deveria ter apenas um carácter temporário. No entanto é a mais usada por razões sócio econômicas. Este tipo de prótese é mantida na boca pelas retenções presentes nos dentes que ainda restam. Apoia-se únicamente nos tecidos moles e no que resta do osso alveolar.
A prótese de silicone e de nylon é uma protese flexível, em princípio mais confortável e fácil de colocar. É mais cara que a prótese de acrílico normal e quando quebra é difícil de consertar. Não é indicada para substituir muitos dentes porque como é flexível existe alguma mobilidade nos dentes postiços e ninguém quer que os dentes se movam enquanto ri, fala ou come. Não é possível acrescentar dentes ou fazer um rebasamento nas próteses de silicone e nylon. Muitas pessoas reportam uma grande incidência de áftas no uso deste tipo de dentaduras.
Os fabricantes mais conceituados oferecem uma garantia limitada e um certificado. Esclareça estas questões mais a possibilidade de reparação junto do seu dentista antes de encomendar uma prótese flexível.

prótese dentária total em acrílico

Prótese dentária total removível

A prótese total removível, muitas vezes apelidada de dentadura, placa dentária ou chapa, é normalmente em acrílico e destina-se à substituição de todos os dentes. É suportada apenas pelos tecidos moles e estrutura óssea subjacente. Esta prótese acrílica superior de 13 dentes (quase total) mantém-se na boca pela acção conjunta de pequenas retenções da anatomia do que resta do osso alvéolar, da língua, dos músculos faciais, e no caso da prótese superior, do efeito de vácuo entre a superfície interna da prótese e o palato (céu da boca). Neste caso busca também retenção no único dente que resta na boca. A retenção da prótese total é muito problemática quando há uma reabsorção quase total do osso alvéolar. Nessa situação a única solução é recorrer aos implantes dentários.

Os dentes postiços das próteses removíveis

Os dentes utilizados nas próteses parciais e totais são normalmente dentes pré-fabricados em acrílico. Também podem ser usados dentes de porcelana (cerâmica) a pedido do paciente. Haverá um custo acrescido neste caso. Os dentes de porcelana têm a vantagem de resistirem muito mais ao desgaste, terem um aspecto mais natural e não sofrerem alterações na cor com o tempo. Por outro lado são muito mais caros e difíceis de reparar quando se partem e levam a uma maior reabsorção do que resta do osso alvéolar por serem mais duros. Há porém que ter em consideração que a prótese removível tem um período de vida limitado pelas contínuas alterações da boca e pela degradação dos materiais empregues. É fácil compreender que a boca vai-se alterando com o decorrer dos anos, levando a uma desadaptação da prótese.

Desvantagens da prótese removível

A única vantagem aparente da prótese removível sobre a prótese fixa é de ordem econômica. Se considerarmos a sua menor duração e a potencialidade de levar à perda de mais dentes num período curto de tempo, fácilmente compreenderemos que nem essa vantagem existe. Este tipo de prótese só pode ser considerada uma solução temporária. Como se trata de uma prótese que cobre parcialmente os dentes ainda existentes, pela sua parte lingual, aumenta o surgimento de cáries nesses dentes. Pode igualmente mover esses dentes como se fosse um mau aparelho ortodôntico.

Prótese sobre implantes dentários

Prótese protocolo - ponte total fixa

O tipo mais caro e resistente, feita totalmente em cerâmica ou metal e cerâmica e aparafusada aos implantes. Um aspeto menos satisfatório é o fato da cerâmica lascar ou quebrar com alguma frequência. O conserto é difícil e nunca fica igual ao original.
[Leia mais... »]

Prótese híbrida - dentadura fixa

A prótese total em metal e acrílico, aparafusada no implante dentário, é uma dentadura fixa conhecida por prótese híbrida. Tem algumas semelhanças com a prótese convencional de acrílico mas incorpora uma estrutura interna em metal, cuja função é aumentar a rijidez e fornecer suporte adequado aos parafusos de fixação.
Este tipo de prótese só pode ser retirada da boca pelo dentista.
[Leia mais... »]

Overdenture - dentadura semi fixa

Embora a overdenture (ou sobredentadura) possa ser considerada uma prótese híbrida, na realidade é uma prótese de encaixe semi-fixa. Isto quer dizer que o portador pode retirar e colocar a prótese a seu bel prazer. Este fator facilita a higiene e permite que a prótese tenha a forma apropriada não só para restaurar a função mastifatória, mas também a sustentação dos músculos da face, o que não acontece sempre com a híbrida fixa suportada por implantes.
[Leia mais... »]

Conselhos aos portadores de prótese dentária

prótese dentária total inferior em acrílico Passar a usar uma prótese dentária pode trazer algum desconforto inicial durante a fase de adaptação e exige alguma boa vontade do paciente que será naturalmente recompensado, passado este período inicial. Certamente que o desconforto e a desvantagem da falta de dentes é muito superior e o paciente deverá ter isso em consideração.  A opção por cada tipo de prótese depende de aspectos clínicos e económicos. A imagem próxima retrata a dentadura convencional de acrílico.

Os primeiros dias com a prótese nova

Tente usar a sua prótese durante a maior parte do tempo. A adaptação será mais rápida.
A nova dentadura parecerá incomodar, terá náuseas, a saliva será mais abundante, a pronúncia soará estranha. Todos estas perturbações são passageiras e desaparecem com o tempo.

A dentadura não está estável

A prótese removível não pode apresentar uma fixação absoluta. Após alguns dias, os reflexos musculares contribuirão para atenuar este inconveniente. Algum movimento é aceitável, afinal ela não está fixa. Não tenha expetativas exageradas, a prótese total removível tem muitas limitações.

Quem usa uma dentadura pode ver a qualidade de vida melhorada se decidir usar implantes dentários para reter e suportar a sua prótese.

Irritação da gengiva e dor

As irritações ou dores que podem aparecer nos dias seguintes não devem ser motivo de inquietação. Um simples retoque ou desbaste por parte do técnico de prótese dentária ou do dentista resolverão o problema. Uma prótese dentária não pode fazer doer. Se a prótese doi é porque alguma coisa precisa de ser corrigida. Retorne ao dentista com a maior brevidade possível, não existe necessidade de andar com dores.

Alergias

Os materiais empregues nas próteses dentárias são relativamente inertes. No entanto é sabido que algumas pessoas demonstram reação alérgica a alguns produtos, nomeadamente o acrílico da base das dentaduras parciais ou totais. A industria prevê estas situações e disponibiliza acrílicos especiais de natureza anti-alérgica. Se já teve este tipo de problema e está prestes a encomendar uma dentadura nova, chame a atenção do dentista para o fato. Lembre-se que este tipo de acrílico é mais caro do que o acrílico normal.

Às refeições

No começo privilegie alimentos fáceis de mastigar e pouco a pouco a sua eficácia mastigatória melhorará.
Após cada refeição, retire a prótese e escove-a com uma escova de dentes e um produto específico à venda em farmácia, não use creme dental/pasta de dentes porque contém abrasivos. Não deixe qualquer resíduo.

Inserir e retirar a prótese dentária do tipo removível

Prótese total
As próteses superior e inferior devem ser usadas ao mesmo tempo, elas estabilizam-se mutuamente.
Prótese parcial
A prótese deve ser inserida com as duas mãos e sem forçar. Ao princípio será mais fácil fazê-lo em frente a um espelho. Nalguns casos será necessário encaixar um lado antes do outro.

Dormir ou não dormir com a nova prótese dentária

Não se deve dormir com a dentadura. A mucosa, tecidos bucais e gengiva, precisam de descansar para se manterem saudáveis. Não foram feitos para estarem sempre cobertos por uma prótese dentária do tipo placa. Esse período servirá também para desinfetar a prótese através da sua imersão em água com uma solução própria à venda em farmácia. É uma maneira de retardar os odores desagradáveis que vão contaminar a prótese com o tempo. Pela manhã quando voltar a colocar a prótese sentirá que está mais justa. Esse fato não se deve a qualquer alteração na dentadura mas sim ao 'inchaço' de toda a zona bucal devido à maior afluência de sangue durante a noite. É um efeito passageiro.

Manutenção e conservação da dentadura

Deixar a protese a descansar durante a noite dentro de um recipiente com água e um detergente especial para esse fim, à venda na farmácia.

Fratura ou quebra da prótese

No caso da prótese partir ou fraturar, conservar todos os pedaços e levar a um laboratório o mais depressa possível. O técnico está habilitado a fazer uma reparação sólida e invisível. Sobretudo não tente reparar você mesmo, arriscaria a tornar a reparação impossível e obrigaria à necessidade de novos moldes (impressões) da boca. O conserto de uma dentadura partida ou rachada pode ser feito diretamente pelo protésico dentário, sem a mediação do dentista ou clínica dentária. Atenção que não existe cola própria para colar uma 'placa dentária' partida. Tem que se colocar acrílico novo na junta. Existe a tentação de usar cola de cianicrolato mas é absolutamente contra indicado. A cola não tem a resistência necessária, é solúvel em meio húmido e obrigará à tomada de novas impressões, que seriam desnecessárias se a prótese não tivesse sido colada e quebrado de novo.

Ajustar a prótese dentária (dentadura)

Com o decorrer do tempo a prótese dentária móvel têm tendência a piorar a sua adaptação. Esse problema deveria ser um indicador para fazer uma nova. No entanto, não existe sempre disponibilidade econômica para tal. Qual é então a solução? - fazer um rebasamento. Esta é uma das muitas competências de um laboratório dentário e de um dentista. Trata-se de um trabalho relativamente simples e sem comparação mais barato do que mandar fazer uma dentadura nova. Tem o inconveniente de normalmente ser feito com um acrílico de inferior qualidade em relação ao acrílico original, o que pode potenciar efeitos secundários alergênicos a nível da mucosa bucal.

O uso de fixadores ou acondicionadores dentários - como fixar uma prótese?

O uso de fixadores em creme, pó ou fitas adesivas não são uma solução para dentaduras desajustadas. A sua utilização é um recurso para pessoas com dificuldades econômicas (saiba como utilizá-los).

Justificam-se no entanto para casos de prótese dentária temporária (a pessoa espera que alguma condição se realize para a colocação de uma prótese definitiva). Enquanto aguarda, a sua prótese provisória pode ficar desadaptada, criando muitas dificuldades no seu uso. Nessa situação os fixadores são muito bem vindos. Mas como ficou descrito antes, não são uma solução permanente. Se a sua dentadura "dança" ou cai, considere fazer uma nova, ou optar por outro tipo de prótese dentária como a prótese fixa.

Outras considerações sobre a qualidade das próteses removíveis em acrílico ou silicone

Uma dentadura de acrílico perde rápidamente as suas qualidades. Os dentes gastam-se em pouco tempo se também forem de acrílico, o que é vulgar (excepto se forem utilizados dentes de cerâmica). Logo a estética fica comprometida. Por outro lado, como se trata de uma prótese dentária primariamente suportada pelos tecidos (parte desdentada da boca), irá acelerar a redução (perca) do osso alveolar, onde antes estavam os dentes naturais. Esse processo reduzirá a adaptação da dentadura e promoverá o seu "afundamento" na boca. A sua função fica definitivamente comprometida. Por todos estes motivos, uma prótese de acrílico deve ser substituída a intervalos regulares ou mesmo ser desconsiderada* como solução a longo prazo.